14 de ago de 2009

You Can't Always Get What You Want

Second chances they don't ever matter, people never change
Once a whore, you're nothing more, I'm sorry that'll never change
And about forgiveness, we're both supposed to have exchanged
I'm sorry honey, but I'm passing up, now look this way

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros. Juro!
Todo esse amor reprimido,
Esse grito contido,
Esse samba no escuro.
Você que inventou a tristeza
Ora tenha a fineza
de “desinventar”.
Você vai pagar, e é dobrado,
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar.

But I hope you know

That it won't let go
It sticks around with you until the day you die
And I hope you know
That it's touch and go
I hope the tears don't stain the world that waits outside
Where did it all go wrong?

Declare guerra aos que fingem te amar

A vida anda ruim na aldeia
Chega de passar a mão na cabeça
De quem te sacaneia
Declare guerra a quem fingi te amar

Declare guerra...

Você não sabe o que perdeu
Você não viu o que aconteceu

Desate o nó que te prendeu a uma pessoa que nunca te mereceu

One last thing before I quit

I never wanted anymore than I could fit into my head
I still remember every single word you said
And all the shit that somehow came along with it
Still there's one thing that comforts me
Since I was always chained but now I'm free

You know it's getting hard to fly


Eu precisava descontar a raiva em algum lugar.
Tô sentindo que vou demorar a té me interessar por outro pessoa.
É isso aí, vou por o plano "Liam House" em prática, sem culpa nenhuma.
Enquanto isso: Fechado para balanço.

Quem acertar o nome e as bandas de todas as músicas, sem ajuda da internet, ganha um café. :D

Nenhum comentário:

Postar um comentário