31 de ago de 2009

We're gonna live forever

Estou de volta com vocês, e vou atirar pra tudo quanto é lado. Não vou mentir, tinha bastante assunto pra postar aqui, mas não tinha a menor paciência, e o tempo ocioso era grande. Muita coisa mudou na minha forma de pensar, mesmo eu dizendo que não, sei que mudou. Ando muito estranho, fui no shopping sozinho, fui no cinema sozinho, fui no Parque Germânia e no Parcão sozinho. Fico lá, olhando pro horizonte, perdido nos meus pensamentos. Eu acho muito estranho o jeito que acabei perdendo a fé. E não essa fé religiosa, essa eu acho que nunca tive, mas a fé na maioria das pessoas e no amor (é gay, mas é verdade). Confio sempre no mesmo círculo de pessoas, e isso é bom, pq elas nunca me decepcionam, e essas pessoas sabem muito bem quem são. Cansei de ser hípócrita, em algumas situações, pra agradar os outros. Cansei de pisarem em cima de mim, e eu ficar quieto. Se for pra ter amizades falsas, é melhor nem ter mesmo.

No momento eu preciso de quatro coisas:
1 - Festa
2 - Jogar futebol, que faz MUITO tempo que eu não jogo.
3 - Reunião com a gurizada.
4 - IDA PRA CAPÃO (E ISSO VAI DEMORAR MUUUUIIITOOO... AAAAAHHHHHHHH)
Ainda mais com esses dias quentes que me parecem Dezembro já. Nem comecei a estudar ainda, parece que tô de férias, mas férias de verão já. Será que é ruim essa vontade de ir pra praia ter começado tão cedo assim ? oO

E O OASIS ACABOU, VÉI . Bem na minha fase de ouvir Oasis sem parar. O que todos achavam que era marketing, acabou de verdade com a banda. O Noel pelo jeito amadureceu, coisa que o Liam ainda não fez, e decidiu deixar de ser babá de criança. Mas o mais estranho foi quando eu fui falar pro Fábio no MSN que o Oasis tinha acabado, ele disse "Tudo um dia acaba.". Essa frase ficou na minha cabeça, e eu comecei a refletir muito sobre ela. Eu discordo totalmente do virtuosíssimo guitarrista do ZDC. Pq ainda lembramos de Beethoven ? Pq ainda falamos que os Beatles foi a banda mais revolucionária de todos os tempos ? Esses dois exemplos fizeram coisas para serem lembrados eternamente. Óbvio, eles acabaram, mas de certa forma, as suas obras continuam vivas. E nem precisa tanto, tu pode ser marcante num pequeno universo de pessoas. Por exemplo, daqui um tempo quero contar pros meus filhos como era divertido ir pra Capão com meus amigos, e um dia ver uma véia com chifres numa sacada em um prédio à beira-mar. O que é marcante, fica pra sempre. Nem tudo acaba um dia.




"Marla Singer, if I ever had a tumor, that's how I'd name it."
Narrador (Edward Norton) do Clube da Luta

Nenhum comentário:

Postar um comentário