3 de mai de 2009

Atirando pedras no laguinho.

    Sim, eu sei. Faz tempo (denovo). E vai se repetir, com certeza. Mas vamos aos fatos e aos pensamentos .O ensaio do Zero de Conduta foi bom. Das seis músicas, tocamos duas inteiras de primeira. Minha ex-banda demorou um ano pra tocar duas músicas inteiras. E eu continuo com o meu problema com o tempo das músicas. Sei lá o que eu faço pra mudar isso. Gostei da galera tocando junto e tal. Entramos em sintonia. Agora é ensaiar mais vezes e ver no que vai dar.
     Uns dias depois eu e meus amigos fomos no Shopping Total, jantar lá e se reencontrar (desde a praia não via vários deles). Depois disso fomos pra casa do Marcelo. Eu, Bernardo, Solano e o Marcelo (sério ?!). Pegamos um táxi, e inventamos uma história de que eu pulava o muro de um cemitério, pra pegar a filha do coveiro. Foi engraçado. Não sei o que o taxista ficou pensando, mas eu queria MUITO saber. Depois disso, Deus castigou. O Marcelo se deu conta de que não tinha a chave de casa, e de que os pais não estavam em casa. Daí ele ligou pros pais, pra saber onde eles estavam, se chegariam logo. Eles estavam no IGUATEMI. A milhas e milhas de distância. Tínhamos duas escolhas:

1- Esperar numa rua sem saída e deserta pelos pais do Marcelo.
2- Pular o portão da casa, tentar entrar de algum jeito e conseguir uma chave adicional, que ficava dentro de casa.

Somos adolescentes bem esclarecidos e conscientes dos perigos de uma atitude errada. ÓBVIO QUE ESCOLHEMOS A SEGUNDA OPÇÃO (só de opiçãooooo). O Marcelo chegou e pulou o portão com certa facilidade, é de casa e tal. Só tínhamos medo de que algum vizinho visse a nossa entrada lá, e ligasse pra polícia. Caso isso acontece eu ia rir, mesmo. Mas o mais ninja vem agora. Ele procurou uma janela aberta, pra entrar na casa. Não achou nenhuma. Então ele subiu no corrimão da escadaria da frente da casa dele, se esticou todo e começou a bater na janela da cozinha, tentando forçar ela a abrir. E DEU CERTO. GÊNIO \o/. Tá, mas a altura entre o corrimão e a janela era bem grande, mais de dois metros, acho. Daí o Marcelo se esticou mais ainda, se segurou no parapeito da janela e entrou. MEU DEUS. SUPER SAYAJIN NÍVEL 4 MEGA GENKI DAMA MORRA MAJIN BOO. (na verdade essa força no braço só pode ser uma coisa que eu não vou falar, mas deixarei subtendido). Eu olhei aquilo e também queria uma aventura. Um pouco de adrenalina no sangue. Estudei um jeito de pular o portão. E CONSEGUI \o/. Furei a mão e perdi o Tênis (com um T bem grande). Mas tava lá dentro. Depois de um tempo o Marcelo encontrou a chave e todos estavam felizes dentro da casa.
     Essa semana eu tenho prova de anatomia II, e dê-lhe EYE OF THE TIGER. Essa prova atrapalhou as comemorações do meu aniversário. Maldita anatomia. Mas vai ser bom por um lado, vou tirar uma boa nota e vai ser mais um motivo pra eu comemorar na sexta. E na outra terça tem OASIS. Mal posso esperar. Com a abertura da Cachorro Grande, ainda. Graaaaande sacada, é a banda gaúcha que tem mais a ver com o som do Oasis. EU VOU CONSEGUIR UMA CARTEIRA DE SÓCIO DO GRÊMIO PRA MIM. Meu sonho se realizou. Uhuuuuuuuullllllllllll. Vou poder ir no jogo que eu quiser agora, e sem depender de ninguém. Falando nisso, melhor campanha da Libertadores não é pra qulquer um. Quero, E VOU , ver o Tcheco erguendo o caneco dia oito de julho.
     Em alguns posts atrás eu disse que tinha uma história que não podia contar e deixei um supense no ar (ATÓÓÓÓÓRON, ATÓÓÓÓRON SUSPENSE [2]). Agora eu posso contar e eu tô há horas pra fazer um esse post meloso, sobre afetos e desafetos. Quem sabe no próximo. Explicarei tudo direitinho...


PS: Entrei na onda dos seriados americanos, depois de muito relutar. Tenho assistido House quase todos os dias. BAITA SERIADO.   everybody lies.

A frase de hoje é a revelação de um mistério que há anos ronda a tevê: O Sílvio Santos, nosso patrãozinho querido, usa peruca. :o

Nenhum comentário:

Postar um comentário