7 de fev de 2009

Da Janela

Da Janela eu vejo a noite
De costas pra cidade
Luzes iluminam a escuridão
Imagens de um dia cheio
A brisa bate no meu rosto
Buzinas, barulhos e a boemia
Lua cheia, ilumina quem passa

Tevê pra não ficar só
Sangue, sequestro e crise mundial
Mais tarde tem o futebol
Vencer é a nossa obrigação, ou não
Aulas de anatomia
Óssos, músculos, neurologia
Quem mais ? E o que mais ?
É só mais um avião a pousar

Nessa selva de pedra e concreto
Combinaremos mais um dia
Mais um dia de sol no Parcão
E até aqui está tudo bem
Mas amanhã será mais um dia
Em que a rotina domina
E a minha janela...
A minha janela...
Termina

Nenhum comentário:

Postar um comentário