25 de jun de 2009

What a Helter Skelter...

Terminei o último tópico sério do blog (o do Joel não conta) assim:
"Espero que eu continue pensando assim. :D"
Escrito em amarelo. Sim, pq eu me conheço muito bem e sabia que o meu sentimento poderia voltar. E não deu outra. Como diz a música do título:
"When I get to the bottom I go back to the top." (cortei uma parte, e daí, vai encara ? ¬¬')
Acho que passei de uma semi-depressão a uma euforia sem tamanha. Culpa da Mari e das provas.
Vamos aos fatos, cronologicamente pensados:

Quinta passada:
Sim, eu estava afim da Mari, apesar dela ser minha amiga e tudo. Não tinha como negar. Da turma lá da faculdade, só tinha contado isso pro Frodo, pq seria impossível não comentar nada com ele. E, nesse fatídico dia, tivemos uma pequena "discussão" acerca de minha pessoa no restaurante da faculdade, em que a Mari começou a dizer coisas que eu não gostei. Além de estar, evidentemente me chamando de mentiroso. Magoei, mesmo. ACHEI ( e eu dou uma ênfase pra esse 'achei'') que meu sentimento tinha acabado.

Sexta passada, o dia em que a merda-maior foi feita:
Tendo em mente que eu havia desistido da Mari, eu decidi contar pra Patrícia que eu tinha ficado afim da Mari, mas o sentimento tinha passado já. A Mari era muito amiga da Patrícia, mas elas andaram brigando. A Patrícia é uma pessoa muito difícil de lidar. Ela é legal e tudo, mas óbviamente tem seus defeitos. Eu me esforcei pra fazer elas voltarem a se falar. Voltaram, mas dá pra ver que não é a mesma coisa e que chega até a ser um pouco falsa a amizade delas. Outra coisa é a Patrícia achar que eu sou dela (mesmo ela tendo namorado), tipo uma propriedade, além de ter ciúmes de mim com qualquer pessoa, e essas coisas me irrita demais. Já briguei com ela por isso. Juntando esses dois fatos, eu sabia que ela me xingaria muito. E eu contei pra ela exatamente pra ser xingado e desistir da Mari. Burrada sem tamanho.

Domingo, o dia da bomba:
Contei tudo pra Mari... Tudo mesmo. Que eu fui afim, que eu desisti, que eu tinha contado pra Patrícia. A Mari enlouqueceu, e agora eu entendo pq. Ela ficou só falando na Patrícia, e de como as relações eu-Patrícia, ela-Patrícia e eu-ela iam mudar. Ela dizia que a Patrícia ia mudar com ela por causa do ciúmes (isso não aconteceu, Graças a Entidade Suprema, George depois explico). Comigo ela mudou um pouco, mesmo, mas eu tenho me irritado com ela e falei algumas verdades pra ela uns dias atrás, ou seja vamos brigar daqui uns dias \o/ . E eu e a Mari iríamos nos "separar" um pouco, pq a Patrícia ia ficar desconfiada. Ela é como se fosse uma "pedra" nos separando. Etaaaa coisa de novela mexicana. No final do dia eu ganhei o trófeu "House", por fazer as coisas só pensando em mim e machucar as pessoas que estão a minha volta (agora eu vejo que esse pensamento foi MUITO emo) .

Segunda :
Descobri que Machado de Assis sempre esteve certo, as mulheres são mesmo dissimuladas. Eu tava tri triste, quieto e me sentindo culpado. As duas agindo como se nada tivesse acontecido. Quando eu fui levar a Mari na parada com o Frodo, na hora que ela ia subir no ônibus, me deu uma vontade imensa de dar um beijão nela, aqueles de cinema. Romântico ou idiota ? Não sei até agora...

Terça, o dia D :
Dia nervoso, com prova de anatomia e tudo mais que tinha direito. Fiz a prova e achei que tinha me fodido demais, já contava com a recuperação certo. Cheguei em casa abri o MSN e a Mari tava on. Comecei a falar com ela, e aquilo me fez muito bem. Saí do "bottom" e fiquei um pouco mais feliz. Eu tava precisando falar em particular com ela mesmo. Contei que talvez eu não tivesse desistido, que talvez eu tivesse ficado apenas magoado, mas que já tinha passado. Daí entrou uma colega minha no MSN e disse que eu tinha tirado 5,5 na prova de anato (com essa nota eu não precisaria fazer recuperação). MEU DEUS.. EU ENLOUQUECI. BATIA NO MEU BRAÇO, GRITANDO: "É NA RAÇA, PORRA.". Não era pra menos, a prova tava impossível. A partir daquele momento, eu comecei a acreditar que existia uma entidade superior a nós e que ela me protegeu na hora da prova. Bernardo me disse no MSN: "Como diria George Harrison: 'all things must pass'." (sobre o lance com a Mari). Virou meu nick.

Quarta, George:
Com meu humor peculiar reconstituído, tive mais um milagre da entidade superior. Uns dias atrás eu tinha tido uma prova de Bioquímica, que eu achava que tinha tirado D, e aí teria que tirar um A na outra pra compensar, tava bem preocupado. A professora entregou a prova. Eu tirei 3,7 de 6, ou seja, uma nota boa. E eu teria uma prova no outro dia (que seria a do A). Ela deu pra fazer em casa. Estendi as mãos aos céus e disse:
"Obrigado, entidade Superior. Obrigado por estar me iluminando."
Decidir dar o nome de George em homenagem ao Beatle que havia acabado de virar nick de MSN. Ou seja, fundei uma religião.
Almocei com o Bernardo, e contei tudo que tinha acontecido. Foi muito bom, olhar pra trás e rir do que aconteceu.
Depois farei um post exclusivo sobre a batalha campal ocorrida de noite - Grêmio x Cruzeiro.

Hoje:
Só uma coisa, me dei conta de que eu preciso ver a Mari todo dia. Eu fui entregar a "prova" lá de Bioquímica e depois fui correndo na sala dela pra ver se conseguia falar com ela. Acho que a minha confusão mental passou, graças a iluminação do Poderoso George, e agora meus sentimentos estão mais claros.

Carimbado o passaporte pro próximo semestre.
Em breve mais capítulos dessa novela mexicana.

Tô a meia hora aqui, olhando pro texto e pensando se era "só" isso que eu tinha pra escrever.
Acho que sim. oO

Um comentário:

  1. veja mais nos próximos episódios! Será que LAGARTO FICARÁ COM MARI? ou será que ele vai no Beco com a sua amiga de msn mais legal?! auhuahauhauhauhauahuah

    ResponderExcluir